top of page

Preocupação



A preocupação está no centro dos transtornos de ansiedade. A Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC), abrange intervenções que têm como objetivo produzir mudanças nos pensamentos e nos sistemas de significados, pois foca nas possíveis distorções cognitivas da pessoa, acerca dos pensamentos ansiosos para, assim, promover transformação emocional e comportamental duradoura. Pode-se notar, por exemplo, que pessoas que sofrem com a ansiedade problemática têm uma tendência a prever de maneira negativa os acontecimentos futuros; a desconsiderar aspectos positivos da realidade; a ignorar a possibilidade de conseguirem fazer algo novo; a subestimar o próprio potencial para lidar com frustrações e riscos; a manter padrões de extrema exigência e perfeccionismo e uma extrema necessidade da aprovação dos outros.

Assim, podemos sugerir que, algumas pessoas acreditam que se preocupar as protege de eventos negativos, por outro lado, outras pessoas acreditam que preocupar-se demais pode trazer consequências negativas, como doenças, insanidade e, portanto, a ansiedade precisa deve controlada ou eliminada. Ficar ansioso em determinada situação de pressão é natural, mas quando uma pessoa só consegue viver preocupada, pensando em resolver problemas que ainda nem aconteceram ou sequer podem acontecer, e assim, manter o estado de preocupação exagerada é o problema. De fato, a preocupação pode ajudar e motivar a fazer coisas – por exemplo, preocupar-se antes de uma prova, pode ser útil para fazer o aluno estudar; elaborar slides, pode ser muito útil para ajudar na condução de uma apresentação de trabalho para a equipe. Entretanto, no processo terapêutico, não lidamos com a ansiedade de forma a eliminá-la ou ignorá-la completamente. Lidamos de forma a avaliar o comportamento ansioso utilizando uma balança decisória, onde paciente e terapeuta podem, juntos, fazem “exame de vantagens e desvantagens”, tornando possível explorar custos, benefícios e trazer evidências reais da situação em questão, ação essa que, viabiliza enfraquecer a ansiedade problemática.

Pensamentos e intepretações das situações determinam o que uma pessoa sente. Quando se pensa de forma ansiosa, a pessoa fica mais propensa a sentir-se e se comportar de forma ansiosa, mantendo o corpo em constante estado de tensão. Desta maneira, ocorre a manutenção do ciclo da ansiedade. E isso ocorre porque quando o corpo se encontra em um estado fisicamente tenso, ele está enviando estímulos para o cérebro de que algo está errado. É como se "ligasse o alerta".


Portanto, não são as situações, são os pensamentos (interpretações da situação) que conduzem as emoções e comportamentos. O excesso de preocupação pode ser um sinal de estresse intenso ou ansiedade e deve ser avaliado junto a um profissional da saúde mental.


Conte comigo para iniciar o seu processo de terapia e ter mais qualidade de vida ao cuidar da sua saúde mental. Tire suas dúvidas aqui!



Comments


Commenting has been turned off.
  • Whatsapp
bottom of page